Os acordos de Fusão e Aquisição (F & A) são anunciados quase todos os dias, mas você já se perguntou quanto tempo leva para formalizar uma transação? Bem, isso não acontece de um dia para outro. Meses e meses de trabalho, talvez anos às vezes, entram em um acordo. Da busca de um alvo ou comprador adequado para a aprovação e integração final do acionista / governo – este é um processo complexo.

Por simplicidade, a linha de tempo do contrato pode ser dividida em três fases principais: Planejamento, Implementação e Fechamento. A imagem embaixo é uma representação simples da viagem tumultuada enfrentada pelas empresas no processo de negociação de F&A. O carro é o comprador ou o vendedor. Qualquer um deles poderia iniciar o processo de busca.

O pensamento de adquirir uma empresa é legal, mas, à medida que a empresa avança no processo, ela passa por altos e baixos. A aprovação pode ser o ponto mais assustador do negócio porque a empresa não tem controle sobre ele; os acionistas e os governos sim. A integração ou o fechamento é o ponto mais alto do negócio, pois agora nenhum fator externo pode afetá-lo.

Planejamento

Esta é a primeira etapa do processo de F&A. A gerência sênior e os times mapeiam as direções atuais e futuras do negócio. Dependendo das necessidades da empresa e da indústria, uma empresa pode ter que adicionar ou reduzir ativos ou comprar uma empresa inteira. Fatores relacionados à indústria, como concorrência, barreiras, clientes e fornecedores, desempenham um papel importante quando uma empresa avalia suas necessidades. A empresa também realiza uma análise SWOT (Strength – Pontos Fortes / Weakness – Pontos Fracos / Opportunities – Oportunidades / Threats – Ameaças) em sua infraestrutura. Após a identificação de lacunas e necessidades, a empresa desenvolve um plano para preencher as lacunas. Nesta fase, surge a ideia de aquisição e a empresa desenvolve o plano de aquisição. O plano é um esboço detalhado do que a empresa realmente precisa, alvos adequados, contingências e backups. Retornos financeiros, fatores tecnológicos, custos e outros objetivos são adicionados a este plano. Um aspecto importante a ter em mente é que o plano de aquisição funciona em conjunto com a declaração de missão da empresa. A aquisição visa tornar a empresa mais competitiva no setor e promover a missão da empresa. Com toda essa pesquisa e planejamento, as equipes saem em uma missão para encontrar um alvo adequado.

Este é o ponto em que os bancos de investimento entram no processo. Antes de começar a pesquisa, o valor do negócio – preço máximo que uma empresa está disposta a pagar – é decidido. Em seguida, são preferências geográficas, participação de mercado, linhas de produtos e ajuste cultural. Algumas empresas podem abandonar a ideia de aquisição nesta fase. Quando uma empresa alvo satisfaz todos os critérios, é abordada com a proposta de aquisição.

O Yahoo estava buscando compradores em 2011. Algumas das empresas que expressaram interesse eram a Microsoft e a Alibaba. Em 2016, a lista de licitantes foi ainda mais atrativa, pois incluiu AT&T, Disney, Google, Softbank e algumas empresas de investimento de capital. No caso do Yahoo, levou quase cinco anos para encontrar a combinação perfeita – Verizon. Quando os objetivos do comprador e do vendedor se alinham, eles seguem com os próximos passos. Aqui os advogados entram em ação preparando um acordo de não divulgação e a carta de intenção. Neste ponto, o estágio de planejamento acaba. Agora começa a ação real.

Continue lendo este e outros artigos na Edição 57 da Shared Services News!

Fonte: Shared Services News Edição 57